booked.net

Agora é a hora de tratar o melasma no rosto

Por Revista Marie Clare - 24 de janeiro de 2020

Você tem melasma? Bem vinda ao clube! Em um país tropical como o Brasil, em que o sol brilha o ano todo e o verão é quente de verdade, essa é uma condição muito comum.

As buscas no Google não nos deixam mentir: é justamente nessa época do ano que as brasileiras mais buscam por soluções para o melasma. Passadas as festas de fim de ano, é hora de encarar o espelho e encontrar as manchas na testa, maçãs do rosto, nariz e buço.

Você pode não conhecer pelo nome, mas certamente tem ou conhece quem tenha essas manchas escuras. O melasma aparece principalmente no rosto, mas também pode atacar os braços, colo e pescoço. E quem tem, sabe: ô coisa difícil de sumir da pele.

Famosas como Ana Hickmann, Mariana Goldfarb, Mariana Xavier, Ivete Sangalo e Cleo já falaram publicamente sobre o problema, que incomoda muita gente. O melasma atinge principalmente mulheres, e é uma condição presente em todas as etnias.

Conversamos com a dermatologista Dra. Camila Moulin, especialista em Cosmetologia da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Ela acredita que não é necessário esperar o inverno chegar para tratar do melasma – dá para tratar durante o ano todo, se houver comprometimento da paciente. E quanto antes você atacar o problema, mais cedo o resultado vem.

O que é melasma?

Vamos começar com a má notícia: melasma é uma doença crônica, e que, até o momento, não tem cura. O objetivo de quem tem as manchas deve ser, então, o controle da condição. E quem tem, sabe que é praticamente impossível passar incólume por férias de verão sem despertar o melasma. Isso porque, além do sol, o calor faz com que as manchas apareçam com força total.

O sol de fato piora o melasma, mas banho quente, sauna, até o ar do secador de cabelos também pode contribuir para as manchas”, alerta Camila. A pior fase é o verão, por causa do aumento de temperatura. Mesmo que você use protetor solar, chapéu e fuja do sol, fica difícil escapar, por exemplo, do calor intenso de um carro que ficou estacionado ao ar livre, certo?

A boa notícia? Os tratamentos estão cada vez mais eficazes e menos agressivos. Se você faz parte do time que voltou da praia preocupada com o melasma que se instalou no seu rosto, agora é a hora certa para começar a tratar. Não precisa esperar o inverno chegar. Com comprometimento, é possível combater as manchas já.

Tratamentos eficazes contra o melasma

“Eu recomendo o tratamento do melasma quando a pessoa pode se comprometer a não se expor ao sol. Se não há uma viagem para a praia marcada, se a paciente está disposta a repousar a pele após o tratamento, dá para fazer”, explica Camila. “A maior procura no consultório é quando acaba o verão. Mas não adianta começar um tratamento no inverno e viajar para a praia. Nessa condição, o tratamento é como enxugar gelo, não é eficaz”, completa.

O tratamento do melasma pede comprometimento e paciência. Isso porque os métodos mais agressivos de cuidado com a pele não funcionam nesse caso. “Tratamentos rápidos não são eficazes para o melasma. Procedimentos agressivos podem até deixar as manchas mais intensas. Nesse caso, mais do que em qualquer outro problema dermatológico, o lema é ‘menos é mais’”, afirma Camila.

O uso de filtro solar todos os dias deveria ser um hábito para todas as pessoas, mas é ainda mais importante para quem tem melasma. E na hora de escolher o produto, preste atenção: os filtros físicos são mais eficazes que os químicos, neste caso.

Os filtros físicos, como o nome diz, fazem uma barreira física que protege a pele do sol. Em geral esses produtos têm óxido de zinco ou dióxido de titânio, que fica na superfície da pele e impede que os raios solares entrem em contato com ela. Olho no rótulo!

“O problema é que alguns dos filtros físicos são mais espessos e, por isso, mais desagradáveis ao toque”, explica Camila. Mas a indústria cosmética têm investido em tecnologia para deixar os protetores solares desse segmento com um toque melhor. Vale pedir indicação para sua dermatologista.

Chapéu, sombrinha, guarda-sol com proteção UV, tudo isso ajuda a preservar a pele dos raios solares. Mas outro perigo pode estar nas suas mãos agora. A luz azul, que emana da tela do celular, tablet e computador, também piora o melasma. “Uma dica é diminuir a intensidade da luz azul no celular, optar pelo modo noturno se o aparelho tiver essa configuração”, sugere Camila. E sempre que lembrar, afaste o celular do rosto.

 

Disponível em : https://revistamarieclaire.globo.com/amp/Beauty-Tudo/noticia/2020/01/agora-e-hora-de-tratar-o-melasma-no-rosto.html

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia também